Indicadores Predefinidos Parte III: Indicadores de Evasão, Financiamentos, Acadêmicos e Simuladores (atualizado 2022)

Share

Finalizando a nossa série de tutoriais sobre os Indicadores Predefinidos do Mercadoedu, hoje vamos exemplificar os Indicadores dos grupos de Evasão, Financiamentos, Dados Acadêmicos e Simuladores. Se você ainda não leu a parte I e II desta série, clique aqui e aqui para ficar por dentro.

Indicadores Predefinidos de Evasão 

A evasão no ensino superior é um dos principais desafios enfrentados pelas IES privadas. Para criar estratégias ajustadas de combate a ela, é necessário estar de olho nos principais indicadores do setor, antecipando-se a possíveis crises.

Nos indicadores predefinidos de Evasão do Mercadoedu, podem ser consideradas as seguintes situações de aluno ao gerar um relatório: matrícula trancada, desvinculado do curso e transferido para outro curso da mesma IES.

Uma dica importante na hora de fazer as análises de evasão, é ficar ciente se o item analisado refere-se a um curso ou uma métrica superior como IES ou cidade, por exemplo. O fato é que, se você está analisando a evasão em uma IES, não precisa considerar o aluno na situação transferido para outro curso da mesma IES como um aluno evadido.

Vejamos agora os Indicadores Predefinidos presentes nesse grupo:

Migração

Através do código único do aluno presente no Censo da Educação Superior, é possível acompanhar o fluxo dos alunos, suas situações em cada ano e o ano de ingresso nos cursos. As migrações ocorrem quando identificamos que um aluno entrou em situação de evasão (desvinculado do curso, transferido para outro curso da mesma IES ou matrícula trancada), em algum curso em determinado ano do Censo e apareceu novamente vinculado a outro curso a partir desse mesmo ano.

Exemplo: quando selecionamos o ano de 2019 na série histórica, obtemos a quantidade de alunos que entraram em situação de evasão no curso de origem no Censo da Educação Superior de 2019 e que apareceram vinculados a outro curso a partir desse ano. Também podemos identificar o  ano em que esses alunos ingressaram no curso destino selecionando para ver por “ano de ingresso no destino” ao gerar o relatório.

Migrações do curso de Física na Unicamp: dos alunos que entraram em situação de evasão em 2019 no curso de Física na Unicamp: 61 ingressaram no curso de Matemática da própria instituição, e outros 17 migraram para Engenharia Física também dentro da própria instituição.
Taxa de Evasão Real (TER)

O Indicador de Taxa de Evasão Real (TER) mostra os alunos evadidos quando (ano) o ato da evasão ocorreu, independentemente da sua situação de evasão ser mantida nos anos subsequentes.

Veja o exemplo abaixo:

Taxa de evasão real (TER) de 2018 e 2019 em São Paulo.
Taxa de Evasão (TE)

Este indicador informa percentualmente a quantidade de alunos evadidos das IES e cursos do país.

A Taxa de Evasão é um indicador importante de que o curso, por algum motivo, não está atendendo aos alunos: seja por que não se adaptam à modalidade ou por que não se identificaram com o curso, ou por que o curso não oferece a qualidade técnica e o conteúdo desejado, trata-se de um tema que precisa ser tratado com muito cuidado. Nas instituições públicas, altas taxas de evasão significam que o investimento público não está atingindo seus objetivos. Nas instituições privadas, significa perda de receita imediata.

Retenção

O Indicador de Retenção analisa a Taxa de Retenção Percentual dos alunos de um ano para o outro.

Exemplo:

Retenção percentual de alunos no estado do Rio Grande do Sul em 2018 e 2019 com uma queda de 1,36%.
Evasão (SHARE)

Indicador que informa a participação (share) de cada IES, curso, modalidade, cidade e etc, relativo ao total do mercado analisado.

Veja o exemplo:

Share da evasão dentro de Santa Catarina, mostrando os percentuais de participação por cidade, IES e curso. Estácio de São José apresentou uma queda de 28,69% no seu share de evasão, já a Unesc de Criciúma apresentou 18,75% de crescimento no share do mesmo curso ofertado.
Evadidos

O Indicador de Evadidos informa o número absoluto de alunos evadidos em cada item, conforme as situações de evasão selecionadas ao gerar o relatório: matrícula trancada, desvinculado do curso e/ou transferido para outro curso da mesma IES.

Exemplo:

Número de evadidos por situação dentro do estado do Paraná em 2020, onde o maior índice de matrícula trancada está na cidade de Curitiba no curso de pedagogia com 1.041 alunos nessa situação, seguido pelo curso de direito, na mesma cidade e instituição, com 806 alunos com matrícula trancada.
Índice de Evasão

Índice que apresenta a relação (em %) do total de alunos evadidos (conforme as situações de evasão selecionadas no relatório) frente ao total de alunos matriculados (alunos nas situações “Cursando” ou “Formado”).

Veja o exemplo:

Índice de evasão dos cursos das IES do estado do Rio de Janeiro, em 2020.

Indicadores Predefinidos de Financiamentos

PROUNI

Como o próprio nome sugere, o indicador do PROUNI Informa o número de alunos com financiamento PROUNI integral e PROUNI parcial.

Exemplo:

Total de alunos com financiamento PROUNI integral (crescimento de 1,71%) e PROUNI parcial (queda de 33,66%) nos últimos 3 anos no estado de São Paulo.
Taxa PROUNI

Informa a taxa de alunos com PROUNI (integral + parcial) apresenta a porcentagem dos alunos com PROUNI em relação ao total de alunos com financiamento.

Exemplo:

Taxa de alunos e Total de alunos matriculados com PROUNI (integral + parcial) no estado de São Paulo nos anos de 2018 a 2020.
FIES

Informa o número absoluto de alunos com financiamento do FIES.

Exemplo:

Total de alunos com financiamento reembolsável do FIES no estado de São Paulo nos últimos 3 anos.
Taxa FIES

A taxa de alunos com FIES apresenta a porcentagem dos alunos com FIES em relação ao total de alunos com financiamento.

Exemplo:

Taxa de alunos com FIES nos últimos 3 anos em São Paulo com uma queda de 58,53%.

Indicadores Predefinidos Acadêmicos

Os Indicadores Predefinidos Acadêmicos levam em conta o Índice Geral de Cursos (IGC), o Conceito Preliminar de Curso (CPC), e a Nota ENADE.

Nota ENADE

O Indicador de Nota do ENADE mostra a qualidade que avalia os cursos de acordo com os desempenhos dos estudantes na prova do ENADE. As divulgações são anuais, porém, as áreas de avaliação são distribuídas ao longo dos três anos do Ciclo Avaliativo do ENADE. 

Assim como os demais indicadores predefinidos, é um relatório bem simples de ser gerado. Em “Ver por” selecionamos as dimensões do relatório. Podemos selecionar todas, se o objetivo é ter o maior nível de detalhe possível em cada registro. Os demais campos, preenchemos de acordo com estado, cidade, IES ou curso de interesse.

OBS: desde a edição de 2015, o cálculo do Conceito ENADE passou a ser realizado por curso de graduação e não mais por área. Dessa forma, para distinguir a nota entre os cursos com o mesmo nome de área na mesma IES, basta incluir para ver por “Código ME”. O mesmo irá valer para o indicador da nota CPC.

Nota CPC

Já o CPC avalia o rendimento dos alunos, infraestrutura e corpo docente. Na nota do CPC, o desempenho dos estudantes conta 55% do total, enquanto a infraestrutura representa 15% da nota e o corpo docente, 30%. Na nota dos docentes, a quantidade de mestres pesa 15% do total, já dedicação integral e doutores representam 7,5% (cada) da nota.

A nota do CPC mantém uma relação direta com o Ciclo Avaliativo do Enade, sendo os cursos avaliados segundo as áreas de avaliação a ele vinculadas. A criação do relatório funciona da mesma forma que o indicador da nota ENADE, basta selecionar estado, cidade, IES ou curso de acordo com o objetivo da análise.

Nota IGC

O cálculo do IGC inclui a média ponderada dos conceitos preliminares de curso e os conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável por avaliar os programas de pós-graduação das instituições.

A nota IGC é divulgada anualmente e utiliza como insumo a média da nota CPC do último triênio, assim considerando todas as áreas de avaliação do ciclo avaliativo. Também utiliza como insumo os dados dos programas de pós-graduação da CAPES e a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino. O relatório é semelhante aos de CPC e ENADE, a única diferença aqui é que a nota não é mais por curso ou área de avaliação e sim para uma Instituição de Educação Superior.

Indicadores Predefinidos de Simuladores

IGC

Conforme dito anteriormente, o Índice Geral de Cursos (IGC) é um dos instrumentos utilizados para conhecer o desempenho das instituições de ensino superior do Brasil. O instrumento é construído com base numa média ponderada das notas dos cursos de graduação e pós-graduação de cada instituição.

Análise de IGC da Fadergs em um cenário simulado de cursos de graduação.

CPC

O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é calculado no ano seguinte ao da realização do Enade, em cada área, e considera, além do desempenho dos estudantes, o corpo docente, a infraestrutura e os recursos didático-pedagógicos, entre outros itens.

Os simuladores de IGC e CPC podem tanto ser encontrados no final da aba de indicadores predefinidos quanto no menu + logo abaixo de Relatórios e Dashboards.

Como podemos ver, o Mercadoedu é uma ferramenta extremamente completa e de fácil usabilidade, no que diz respeito ao acesso dos principais dados do ensino superior do país, especialmente do setor privado. Conforme dito anteriormente, os Indicadores Predefinidos foram criados para trazer mais praticidade na hora de analisar os dados e obter os insights para a tomada de decisão.

Não deixe de entrar em contato conosco caso tenha alguma dúvida ou precise de ajuda para acessar algum destes indicadores. 🙂